Analisando tendências

Como já devem ter percebido, sou uma pessoa viciada em internet.


Como se isso não bastasse, adoro séries temporais também. Juntando os dois, temos: análise de tendências na internet.


Durante as férias do meu primeiro semestre de FGV, eu trabalhei/ajudei numa agência de propagada online, a One Digital. É provável que eles nem lembrem de mim lá pois confesso que não acho que contribui muito para a agência. Porém, aprendi MUITA coisa lá, principalmente em termos internet.


Tive meu primeiro contato com SEO, uma outra visão das redes sociais e da comunicação. Ainda lá, via a importância das redes sociais crescendo no caso da campanha do Obama e novas idéias surgindo. Saindo de lá começaram a aparecer notícias a respeito do setor. Começou com os gastos de publicidade online ultrapassando os de offline no Reino Unido, a entrada do Myspace e a popularização do Facebook no Brasil, a febre do Twitter, #CalaBocaGalvão e tudo mais.


Mas uma coisa que lembro muito nitidamente de lá foi da mini aula sobre Search Engine Optimization que tive com o Diretor de Mídia da agência(Robson Ortiz). 


Na internet existe muita informação. Quando se procura algo, os resultados são gigantescos e, por isso, os buscadores precisam definir critérios para elencar quais resultados devem aparecer antes na busca e quais vêm depois. Esses critérios fazem parte dos algorítimos dos buscadores e é são feitos com base no que cada buscador define como relevância. O conceito de relevância é o que varia do Google, para o Yahoo, para o ask e etc. 


Por outro lado, as empresas querem aparecer para seus consumidores e prospects. Conhecendo os conceitos de relevância de cada buscador, podem construir seus websites voltados para determinado público. Ainda não achei termo melhor para isso, mas chamo de segmentação semântica. Semântica pois depende do significado que é gerado a partir dos significantes que se coloca no código do site. Quanto mais próximo estiver do significante que o buscador acha que é o termo buscado pelo usuário, maior será a conversão para aquele site.


Agora, para as tendências. Existe uma ferramenta simples para se analisar tendências na internet. Simples de mais para o meu gosto. é o Google Trends
Ele dá ao usuário o volume de buscas relativo por determinado termo num dado intervalo de tempo. Por exemplo, é possível analisar o comportamento das pessoas em relação aos animais de estimação inserindo os termos:

  • Peixe
  • Gato
  • Cachorro
A imagem ficou meio pequena, mas cliquem para vê-la no tamanho original. Agora, tiremos o gato da busca pois ele distorce a escala do gráfico no começo do ano de 2010.

Os cachorros também têm algo estranho acontecendo no começo do ano de 2009. Mas ignoremos isso e olhemos para a série do peixe. Ela tem um pico de buscas no início do segundo trimestre de todos os anos em questão e no final, algo acontece que leva a busca por "peixe" a outro patamar. Se fizer o teste de hipótese, verá que a probabilidade de dar essa média deslocada para cima é mínima.
  • Mas o que aconteceu em 2010?
  • E o que acontece no segundo trimestre do ano?
Para responder essas, vamos ao mundo real. O que se popularizou no Brasil no segundo semestre de 2010? O peixe urbano. Agora, se vc utilizar os novos recursos de busca do Google, restringindo os resultados para a época me questão, verá que foi nesse momento que o site Peixe-urbano se popularizou.
Agora, tiremos os termos da série peixe que estejam associados a "urbano". Série "peixe" ajustada:


E agora, para responder à segunda pergunta. É aqui que entra a sagacidade do leitor. Lembra daquela época do ano em que os católicos(corrijam se estiver errado, pois sou ateu) não podem comer carne? A tal da Sexta-feira Santa. Época em que muitos comem Bacalhau. Veja então a correlação entre os dois termos:


Como podem ver, na mesma época que há uma procura maior por peixe, há uma procura relativamente maior ainda por bacalhau. Assim, estatisticamente, podemos dizer que isso se da por causa do feriado e do costume da sexta-feira Santa.

Não me perguntem da onde vem o pico de buscas por bacalhau no final do ano que eu também não sei. Mas façam uma busca e digam nos comentários por que vcs acham que há outro pico de buscas por bacalhau nessa época.

Agora, voltando à FGV. Esse é um assunto interessante de e discutir com os professores de estatística. É algo que agrega bastante praticidade nas aulas e serve também para Gestão III. Escrevi esse post pois, enquanto fazia o relatório III, precisei fazer a estratégia de comunicação do produto e o Google Trends foi algo que usei para aprofundar a minha análise.

No Brasil o estudo dos hábitos de consumo por meio das redes sociais e internet ainda é muito pequeno. Fica a sugestão para quem quiser fazer algum projeto interessante de Iniciação Científica na Fundação.


Mais estranho do que isso tudo aí, é que depois eu rodei a tendênica de "peixe -urbano" e "chocolate". A correlação, por mais que não dê para calcular, foi alta, e a sazonalidade batia. Agora você pode dizer que peixe é altamente correlacionado com chocolate!

3 comentários:

  1. Muito bom...tinha esquecido do Google Trends. To pirando fazendo varias comparações.

    ResponderExcluir
  2. Caramba, Krauss! Que artigo excelente, cara!

    ResponderExcluir